Escolha em qual região deseja encontrar o SECOVIMED?





05/09/2017

Boletim Focus aponta inflação mais baixa neste ano e em 2018

Estimativa do IPCA para 2017 cai de 3,45% para 3,38%, segundo o documento do Banco Central

Os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) - o indicador oficial de inflação - neste ano. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 4, pelo BC (Banco Central), mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,45% para 3,38%. Há um mês, estava em 3,45%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,20% para 4,18%, ante 4,20% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas agora no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%).
No dia 23 de agosto, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) informou que o IPCA-15 - considerado uma espécie de prévia da inflação oficial - subiu 0,35% em agosto. O resultado ficou no piso das estimativas do mercado (de 0,35% a 0,65%).

ADMINISTRADOS
O Relatório Focus também indicou manutenção na projeção para os preços administrados neste e no próximo ano. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador em 2017 seguiu com alta de 6,30%. Para 2018, a mediana permaneceu em 4,70%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 5,28% para os preços administrados em 2017 e elevação de 4,66% em 2018.
Na ata do último encontro do Copom (Comitê de Política Monetária), publicada no dia 1º de agosto, o BC projetava alta de 6,6% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,3% em 2018.
O levantamento do BC mostrou que a mediana das projeções do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de 2017 passou de -1,04% para -1,07% da última semana para esta. Há um mês, estava em -0,87%. Para 2018, a projeção seguiu positiva em 4,50%, mesmo valor de quatro semanas atrás.
Calculados pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), os IGPs (Índices Gerais de Preços) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas.
Outro indicador, o IGP-M (Índice Geral de Preços - Mercado), que é referência para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de -0,76% para -0,86% nas projeções dos analistas para 2017. Quatro levantamentos antes, estava em -0,63%. No caso de 2018, o índice seguiu no terreno positivo em 4,39%, ante 4,50% de um mês atrás.

PIB
Os economistas do mercado financeiro elevaram as projeções para PIB (Produto Interno Bruto) em 2017. A expectativa de alta para o PIB deste ano foi de 0,39% para 0,50% no Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira. Há um mês, a perspectiva estava em 0,34%. Para 2018, o mercado manteve a previsão de alta do PIB de 2%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava no mesmo nível.
Na última sexta-feira (dia 1º), o IBGE informou que o PIB cresceu 0,2% no segundo trimestre do ano, ante o primeiro trimestre. Na comparação com o segundo trimestre de 2016, houve alta de 0,3%. No primeiro semestre de 2017, ante os primeiros seis meses do ano passado, o PIB apresentou estabilidade.

CÂMBIO
O Relatório de Mercado Focus mostrou também que a projeção para a cotação da moeda americana no fim de 2017 foi de R$ 3,23 para R$ 3,20. Há um mês, estava em R$ 3,25. O câmbio médio de 2017 passou de R$ 3,19 para R$ 3,18 ante R$ 3,20 de um mês antes.
No caso de 2018, a projeção dos analistas do mercado financeiro para o câmbio no fim do ano foi de R$ 3,38 para R$ 3,35. Quatro semanas antes, estava em R$ 3,40.

Fonte: Folha de Londrina

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

SEDE: Rua Doutor Pedrosa, 475 - Centro
Tel/Fax: (41) 3259-6000 - CEP 80420-120 - Curitiba - Paraná - Brasil

© 2013 Sistema SECOVI-PR. Todos os direitos reservados.