Escolha em qual região deseja encontrar o SECOVIMED?





08/11/2017

Escolha como pagar a conta de luz

A partir de janeiro de 2018 começa a vigorar a tarifa branca. consumidor comum, indústria, comércio e condomínios vão poder optar entre dois modelos de cobrança.
A conta de energia elétrica é considerada por 10 entre 10 síndicos o grande vilão que contribui para os reajustes das taxas de condomínio. E, a partir de janeiro do próximo ano, vem novidade: a tarifa branca. Administradores de condomínios e consumidores convencionais terão de escolher a forma de cobrança que pretendem receber das concessionárias. Atualmente, o modelo adotado é pelo preço médio do kilowatt. Entretanto, na nova forma, que já está sendo utilizada pela indústria, a tarifa varia em relação ao horário de pico: o preço fica mais alto quando o consumo está dentro desse período e mais baixo quando fora dele.

O consultor e síndico profissional José Carlos Galante acredita ser interessante seguir a forma adotada pelas indústrias, “pois elas sempre visam a redução de gastos”. Ele, no entanto, se queixa da falta de informações. “Nenhum dos condomínios em que sou síndico foi comunicado sobre a mudança, o que fez com que eu ainda não tenha levado o tema para uma assembleia para decidir a forma de cobrança que será adotada”, disse.

A Coelba, por meio de sua assessoria, respondeu que a comunicação da mudança, neste momento, tem se restringido a quem consome mais de 500 kW/h, que, conforme cronograma de implantação da tarifa branca estabelecido pela Aneel, serão os únicos atingidos pela nova forma de cobrança em janeiro de 2018. Na Bahia, de acordo com a Coelba, são cerca de 210 mil dos 5,9 milhões de consumidores que estão dentro desta faixa de consumo.

Independente da mudança, Galante diz que uma forma de reduzir a conta de luz é substituir lâmpadas tradicionais por led ou colocar sensores nas áreas comuns. Ele também ressalta que a consciência coletiva e o bom senso dos moradores são fundamentais para diminuir os gastos com a energia elétrica em um momento de aumento constante nas contas de luz.

Apartamentos

Marco Aurélio Grigoniis, que é síndico de um prédio com 72 apartamentos na Paralela, ressalta que, diante do aumento constante nas contas de luz, resolveu promover uma reforma geral da parte elétrica, com a substituição de lâmpadas e instalação de sensores de presença e de luminosidade.

“Adotei um esquema especial para o uso dos elevadorese e obtive uma redução de 40% na conta de luz, que saiu de R$ 1.500 para R$ 900”, contou.
Um esquema especial para o uso dos elevadores também foi adotado, com a não operação de uma das máquinas no horário das 20h às 6h do dia seguinte.

Dicas que podem ajudar a diminuir a conta de luz

Ar-condicionado: Regular o termostato e deixar a temperatura entre 23 e 25 graus.

TV: Sempre programar o aparelho para desligar. O aparelho responde por até 15% do consumo residencial.

Lâmpadas: Usar equipamentos de LED na cozinha, áreas de serviço e banheiros é quase obrigação, pois são as luzes que ficam acesas por até 4 horas seguidas por dia.

Computador: Se a pausa entre o uso for superior a uma hora, o ideal é desligar o equipamento. Se puder, opte por laptops, que costumam ser mais econômicos.

Carregador de celular: Sempre retirar da tomada após o telefone ter seu ciclo de carregamento completo.

Aparelhos eficientes: Eletrodomésticos antigos devem ser substituídos por aparelhos mais novos e com selo Procel. Estude o manual para maximizar o uso e minimizar o gasto de energia.

Luz natural: Ajuda a reduzir o desperdício de energia. Prefira janelas amplas e paredes claras.

Fonte: CondominioSC

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

SEDE: Rua Doutor Pedrosa, 475 - Centro
Tel/Fax: (41) 3259-6000 - CEP 80420-120 - Curitiba - Paraná - Brasil

© 2013 Sistema SECOVI-PR. Todos os direitos reservados.