Escolha em qual região deseja encontrar o SECOVIMED?





11/11/2019

Segurança: utilização de menores em furtos a condomínios

A utilização de menores de idade na prática de crimes sempre foi uma das táticas utilizadas pelas quadrilhas.

A utilização de menores de idade na prática de crimes sempre foi uma das táticas utilizadas pelas quadrilhas. Nas grandes capitais do País, elas já vislumbraram que o furto é a melhor modalidade a ser praticada nos condomínios porque o menor infrator não fica apreendido. Mesmo que seja em flagrante, por não existir o emprego de violência e nem grave ameaça, o menor é levado para delegacia para registro da ocorrência, e, após telefonema para os pais irem busca-lo,  é solto.

Especialistas em segurança demonstram enorme preocupação com essa tendência. Segundo eles, os arrastões que lideravam as reclamações de roubos em condomínios nos últimos anos, agora se tornaram mais raros. Apenas dois casos na Grande São Paulo foram registrados em 2019. Essa modalidade deu espaço para os furtos praticados por menores infratores. A impunidade é a grande responsável pela adoção desta nova prática.

Esse tipo de ação é praticada por quadrilhas não muito organizadas. Normalmente é formada por oportunistas que escolhem aleatoriamente o condomínio a ser invadido. Costumam frequentar regiões nobres com moradores de alto poder aquisitivo, que possuem celulares caros, relógios, joias e dólares guardados.  Costumam escolher os condomínios caminhando e observando quais são mais fáceis de invadir.

A maioria dos invasores é formada por jovens, menores, desarmados, bem vestidos, educados e que entram pela porta da frente aproveitando a falha de procedimento de segurança dos condomínios. Obtendo sucesso na entrada, eles verificam nos andares quais imóveis estão sem ninguém tocando a campainha. 

Na cidade de Londrina, os furtos de bicicletas em garagens têm sido mais comuns nos condomínios, mas é possível que essa nova prática comece a despontar nas estatísticas criminais da cidade.

Protocolo de segurança, treinamento e tecnologia

O sucesso dessas investidas criminosas ocorre devido à quebra dos protocolos de segurança, distração dos funcionários e moradores ou por falha dos equipamentos de segurança eletrônica. 

É importante que o síndico promova reuniões e debates com os moradores e funcionários sobre as novidades, informações, situações rotineiras e conscientização dos protocolos de segurança.

Em relação aos porteiros, é fundamental que eles se atentem a algumas medidas importantes para a segurança do condomínio: 

- Não fornecer dados e informações sobre a rotina dos moradores ou sistema de funcionamento dos equipamentos de segurança; 

- Sempre verificar nas imediações do condomínio se está ocorrendo alguma movimentação atípica; 

- Evitar aglomeração de pessoas junto à porta de entrada e saída dos condôminos;

- Só autorizar a entrada de visitantes após a autorização; 

- Só abrir o portão da garagem após a identificação do condutor do veículo, entre tantas outras medidas.

Também é de fundamental importância que os condôminos contribuam com a segurança do condomínio. Citamos alguns exemplos que podem evitar a entrada de estranhos e contribuir para o bem estar de todos:

- Participar sempre das assembleias e reuniões voltadas para assuntos sobre segurança; 

- Ao sair do apartamento, procure observar a movimentação na área interna do condomínio. Caso verifique uma anormalidade comunique-se com a portaria ou chame a polícia; 

- Evite acionar os portões eletrônicos a uma longa distância;

- Não permita, por educação, que algum visitante entre nas dependências do condomínio sem antes passar por um sistema de identificação, entre outras.

O síndico também possui as suas responsabilidades e é o grande maestro para que todas as medidas adotadas obtenham sucesso. Exemplificamos algumas medidas básicas que pertencem ao síndico:

- Solicitar antecedentes e referências dos candidatos à uma vaga de emprego no condomínio;

- Promover o treinamento regular e atualizações de segurança dos funcionários;

- Padronização do sistema de identificação dos visitantes; 

- Cadastramento de todos os condôminos, familiares e veículos; 

- Cadastramento de empresas e fornecedores do condomínio, entre tantas outras.

Também é essencial que o síndico sempre faça a manutenção do sistema eletrônico de segurança. Existe um percentual razoável de pessoas que conseguem adentrar nos condomínios através da falha de equipamentos. O treinamento de funcionários neste setor também é de extrema importância.

Por fim, é necessário que o síndico se antecipe às modalidades criminosas que as quadrilhas utilizam. A prevenção ainda é o melhor remédio!

Fonte: Folha de Londrina

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

SEDE: Rua Doutor Pedrosa, 475 - Centro
Tel/Fax: (41) 3259-6000 - CEP 80420-120 - Curitiba - Paraná - Brasil

© 2013 Sistema SECOVI-PR. Todos os direitos reservados.