Escolha em qual região deseja encontrar o SECOVIMED?





11/05/2020

Situação dos condomínios residenciais durante a pandemia

Aqueles que moram em condomínios ou prédios residenciais já perceberam mudanças durante este período de quarentena que vão desde preocupações com aluguel até aglomeração de pessoas e aumento do lixo.

Esse cenário atual da rotina do mundo também mexeu com a vida de síndicos e moradores de prédios que estão preocupados em como reagir diante da pandemia, quais são as medidas de segurança que devem ser tomadas e qual o perigo para os funcionários. Uma verdadeira dor de cabeça, não?

Com a presença dos moradores em casa por mais tempo, o volume de lixo acaba aumentando. Agora mais pessoas cozinham em casa e é maior o índice de reclamações a respeito de vizinhos ou do comportamento do outro.

Em relação às medidas de segurança surgem muitas questões. Muitos edifícios reduziram suas equipes, tanto de porteiros, de limpeza, entre outras. Equipamentos de prevenção estão sendo adotados, como as máscaras, luvas e álcool em gel.

A funcionalidade de quadras, hall, churrasqueira e espaços compartilhados também foi limitada, mas mesmo com as limitações algumas pessoas insistem em burlar o isolamento.

Aos idosos que moram sozinhos nesses edifícios, a situação é mais delicada, pois as medidas são mais restritas, porém é possível observar nas redes sociais que em diversos prédios os jovens vêm se voluntariando para ajudar esses idosos com as necessidades básicas, como compras em mercado ou farmácia.

Em redes sociais também está exposto o preconceito de algumas pessoas que habitam condomínios com algum infectado. Um problema que normalmente cabe ao síndico administrar.

No entanto, no Condomínio Falls Garden a secretária comenta que ainda não houve casos graves, pelo contrário, há muita solidariedade: “Percebi uma movimentação de solidariedade, pessoas preocupadas em ajudar com as medidas de segurança. Estão todos cumprindo o isolamento em suas casas, por exceção das pessoas que trabalham nos serviços essenciais”. Ótimo perceber que, apesar da situação da pandemia, existem pessoas preocupadas em ajudar.

Algumas dúvidas frequentes são em relação à higienização dos ambientes, deixar sapatos na entrada, limpeza dos elevadores.

 

O que pode e não pode nos condomínios?

  • Áreas comuns podem ser fechadas por tempo predeterminado ou podem ser mantidas liberadas desde que seja feita uma escala de uso.
  • Assembleias ou reuniões de condomínio devem ser evitadas. Tentem resolver de forma virtual.
  • Apenas obras essenciais devem ser permitidas, sendo função do síndico decidir.
  • Falta de pagamento da taxa de condomínio deve aumentar nos próximos meses, então a dica é renegociar a um preço acessível, deixando a cobrança do fundo de reserva para depois e abatendo juros e multas de inadimplentes.
  • Apenas funcionários de serviços essenciais devem ser mantidos.
  • Se houver um caso de coronavírus confirmado, é recomendado que um funcionário passe a buscar o lixo na porta do morador e leve entregas de comida ao apartamento. A limpeza no hall e entorno ao apartamento deve ser reforçada.
  • O síndico pode recomendar que as empregadas domésticas sejam temporariamente dispensadas ou cumpram horários flexíveis, mas não pode proibir a entrada delas.
  • O condomínio pode colocar álcool em gel nas áreas comuns, contudo não é obrigação.

Quais cuidados devem ter os funcionários?

  • Devem permanecer apenas serviços essenciais como segurança e limpeza.
  • Os sapatos e roupas usados para ir ao trabalho devem ser retirados quando se chega ao condomínio.
  • É necessária uma sala adequada para trocar de roupa.
  • Para não correrem risco, os porteiros não devem ter contato com encomendas trazidas por entregadores.

É um completo exercício de humanidade e respeito neste momento de isolamento para aqueles que estão no mesmo edifício. Tanto para os que o administram criarem mais tolerância com os pagamentos e outros problemas, quanto os moradores.

Fonte: 100Fronteiras – Foz

Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo.

* campos obrigatórios

SEDE: Rua Doutor Pedrosa, 475 - Centro
Tel/Fax: (41) 3259-6000 - CEP 80420-120 - Curitiba - Paraná - Brasil

© 2013 Sistema SECOVI-PR. Todos os direitos reservados.